sexta-feira, setembro 07, 2012

Rio 2



Reconhecer no rio
o exercício do mundo
sem espelhos.

Cumprir o curso
em que se aprende a ser solto
desinquietar.

Crescer
como se fosse o fim sendo o começo
da grande queda.

Amar o abismo
paixão de rio entregue ao salto.

 

6 comentários:

Caroline Godtbil disse...

Desinquietar...
Essa é a palavra deste meu momento...
Pra não variar, minha alma se aquietou ao te ler...
Porque não o abismo? Pq não a queda? Afinal o que é o medo?
Beijo.

Assis Freitas disse...

a gente se desinventa em saltos, no anseio de mergulhos,



beijo

teca disse...

Tantas vezes estamos em sobressaltos...

Beijo carinhoso.

Ivan disse...

Amamos o abismo...

Beijos do Ivan.

Fred Caju disse...

Desconstrução, sempre.

césar disse...

Sábio poema, Dade.
Os rios podem ser exemplos de muitas coisas, quem pode saber?
Abraço amigo