segunda-feira, setembro 03, 2012

Presença



Em cada canto da casa
tua presença perdura.

A música da noite te recria
e apascenta fantasias
desses rebanhos de sonho que inventamos.

E a cada dia floresce e frutifica
toda a fraqueza da carne
nossa força.

7 comentários:

Caroline Godtbil disse...

Gostaria de ter o que comentar, mas sinceramente, acho que tudo já foi magistralmente dito.
Não há como vir aqui e não se deixar levar nas asas da tua sensibilidade.
Beijo.

Suzana Martins disse...

Minha força está nas lembranças suas que ficaram espalhadas pelas casa...

Belo!!

beijos

Bípede Falante disse...

de certa forma as casas tem pernas, braços, cabeça, coração...

beijoss :)

Adri Aleixo disse...

A antítese dos últimos versos é perfeita!

P.S.: Linda imagem.

Beijo cheio de saudades!

mfc disse...

Que fantástica beleza todo este poema!

Beijinhos,

Leonardo B. disse...


[dos silêncios da casa,

onde se guardam as folhas em branco que somos,
arrumados no vasculho das memórias.]

um imenso abraço, Amiga Dade

Leonardo B.

Tati disse...

Presença às vezes é como pó: difícil de tirar dos cantinhos.