segunda-feira, julho 01, 2013

Bar



Como se o som dos passos na calçada
fosse apagando as lâmpadas uma a uma
busca refúgio
um bar desconhecido
onde as pessoas não se voltem
à vista de um estranho.

4 comentários:

José Carlos Sant Anna disse...

Que lente, Dade! Apreendeu com leveza o momento da solidão no bar.
beijo,

Assis Freitas disse...

ando à cata deste bar




beijo

Enylton disse...

Muito lindo, Dade!
Beijos meus e da Lila.

Aloísio disse...

Gosto deste poema, gosto muito!

Beijo.