terça-feira, junho 26, 2007

Paisagem


Monterey Baycom.

Buscou alguma vida
um reinício
mesmo desgastado
para repor as aves que fugiram
durante as décadas do engano.

As chuvas de hoje
fecundaram as margens da barragem.
As águas chegaram
a ocupar boa parte da terra
disponível.

Nada no entanto mudou essa paisagem.


3 comentários:

Carol Timm disse...

Adelaide,

Quanto menos consigo explicar um poema... (ou seja, o que sinto e não entendo o que é... simplesmente sinto...) mas gosto dele.

Gosto muito deste gosto de mar, cheiro de ave e cor de chuva...
Especialmente o final:

“nada no entanto mudou minha paisagem

até as águas chegarem a ocupar a terra
ainda disponível
nada irá mudar”


Beijos,
Carol

Amélia disse...

Lindo!

Lunna disse...

Sentir o que você medita.
Sensações que me abraçam.
Vou fugir antes que eu não possa mai sair daqui.