domingo, junho 17, 2007

Sétimo dia

Sétimo dia
domingo
sol sem brilho.

De tudo que foi desfeito
de tudo que foi pisado
nada que faça sentido.

Infinitivo
o tempo nos vira as costas
e tudo vira passado.

2 comentários:

Mel disse...

Que os términos possibilitem novos recomeços. Sempre. Pois esse é o ciclo da vida.
Um beijo grande.

Lunna disse...

Tudo acabo e pronto para recomeçar.
Que sensatez magnifica esse seu poema. Adorei a definição.
Beijos poéticos e linda semana...