sexta-feira, dezembro 30, 2011

Um ano só




Um ano não começa
recomeça
em cada vida
nas revivências
lembranças
dores
e o que foi sonho
é sonho sempre
independente
de numerais
ou calendários.

Um ano não começa
um ano sopra
aos ouvidos
um ano supre de sonhos
desconversa
inova fatos
marca a memória
para outros anos
enfim chegados.

Um novo ano é como um barco
singrando mares novos
talvez
quem sabe antigos
mares de quem já navega
terras secas.

Em cada vida
o ano começou
de uma placenta
e já sabemos
quando termina
ainda sem data
até que a data chegue.



10 comentários:

Elisa Cunha disse...

Foi belo o final, especialmente. Foi belo!

Feliz 2012 pra ti!
Bjs

Daniela Delias disse...

Dade, que 2012 te seja leve e sopre poesia, sempre...
Bjos!!!

Samuel Pimenta disse...

A sua poesia, Dade, é belíssima! E posso dizer-lhe que, de certa forma, contribuiu para que eu despertasse para a Literatura Brasileira. Comprei recentemente um livro de Clarice Lispector, que tenho a certeza que me deixará encantado. E muitos mais virão, de Clarice e de tantos outros!

Um feliz 2012!

Marcantonio disse...

Sim, sim, um ano recomeça. Existe, ao meu ver, um ano fixo, período que supostamente termina, e um outro ano, móvel, como um gabarito que se desloca ajustado sobre cada dia. E me vem a loucura de imaginar um preceito semelhante ao que os alcoólicos anônimos pregam sobre o abandono do vício, aplicado agora àqueles viciados em longos prazos de vida: não diga "viverei um ano maravilhoso", mas "viverei um dia maravilhoso hoje".

Acho que os poemas se entendem, Dade, porque os espíritos antes o fazem.

Eu lhe desejo 366 novos dias de saúde, paz e alegria de viver! E muita poesia, claro!

Beijo.

Jorge Pimenta disse...

do que vai e do que nos chega, guardemos o que sobra do conflito entre o melhor e o pior.
beijos, querida dade!

Ivan disse...

De uma beleza ímpar, esse poema do ano que sempre se supõe novo e que na verdade é apenas a continuação da vida. Os homens precisam de ritos, datas e razões para expressar seus sentimentos.

A você, que esse suposto ano novo traga alegrias e muita poesia que nos delicie como essa.

Beijos do Ivan.

Assis Freitas disse...

nem sempre é novo, mas pode ser inovador


beijos de muita luz

Camilla disse...

Um poema-filosofia. Lindo, Dade.

Bjss.

mfc disse...

Tudo é sempre um bonito recomeço!
Gostei muito da forma delicada como transmitiste esta ideia.

Beijinhos e um bom ano!

MIRZE disse...

Dade, querida!

Sim, concordo que o ano sopra o recomeço sequencial;mas a esperança de muitos é que ele venha modificar algo

Fechou com Chave de ouro!

Beijos

Mirze