segunda-feira, abril 09, 2012

Dia



O dia chega ao fim
como num sonho.
Memória
e movimento
se dissolvem
no quarto escuro
onde as imagens
perdidas nas paredes
e os pensamentos
são todos fantasias
fragmentos.

Assim que começou o dia novo
pensamos descaminhos
e tudo aconteceu como previsto
tudo que desejamos desmentir
e vimos
o pensamento não move
o semeado não brota
e desse dia
nada pode surgir
só mesmo a noite.

9 comentários:

Ivan disse...

E um lindo poema...

Beijos do Ivan

Luiza Maciel Nogueira disse...

mas estrelas brilhan na noite como pequenas esperanças

beijos

Mirze Souza disse...

Brotam sempre lindos poemas, no seu dia, na sua noite.

Beijos, querida poeta!


Mirze

Nilson Barcelli disse...

Magnífico poema.
Gostei muito das tuas palavras.
Dade, querida amiga, tem uma boa semana.
Beijos.

Daniela Delias disse...

Perfeito nesse dia que termina...
Lindo!
Bjos

Lara Amaral disse...

Das esperanças que temos para um dia, até seu findar inquieto nas paredes do quarto.

Dade, tem homenagem para vc no Teatro.

Beijo, querida!

Jefferson Bessa disse...

Entre o dia e a noite, horas dispersas. Um beijo, Dade!
Jefferson.

castanhamecanica disse...

Saudações quem aqui posta e quem aqui visita.
É uma mensagem “ctrl V + ctrl C”, mas a causa é nobre.
Trata-se da divulgação de um serviço de prestação editorial independente e distribuição de e-books de poesia & afins. Para saber mais, visitem o sítio do projeto.

CASTANHA MECÂNICA - http://castanhamecanica.wordpress.com/

Que toda poesia seja livre!
Fred Caju

mfc disse...

A noite para mim é o momento em que me encontro e me penso!