segunda-feira, abril 23, 2012

Tradução

Sempre que penso em você
lembro da música
a viagem de barco
ouço a cantora grega
voz de contorno
nítido e lhano.
Nada entendemos da letra
mas vivemos tudo
olhando o mar das ilhas
nesse silêncio cheio de falas.

Penso em você
como naquela tarde
de tanta gente alegre
na coberta das mesas
de como nos tocava
uma alegria sem nome
a tradução nos pulsos
sobre a cidade
as aves
planando sobre o barco.

9 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Já me aconteceu o mesmo, porque de grego não percebo nada...
E acontece muito com turistas que ouvem o fado, sentindo-o sem perceber a letra.
O teu poema é magnífico. Gostei imenso.
Dade, querida amiga, tem uma boa semana.
Beijo.

Iara Maria Carvalho disse...

essa "alegria sem nome" ou é poesia. ou é amor.

que lindo quisó!

beijos

Lara Amaral disse...

Que bonito isso, Dade. A lembrança de alguém como brisa de delineia um sorriso.

Beijo.

Ivan disse...

Nunca vi uma tradução mais perfeita...

Beijos do Ivan.

Suzana Martins disse...

Penso em ti como todas as tardes de outono em que repousávamos nossos cansaços a beira mar...

Beijos linda

Enylton disse...

Lindo poema, Dade. Aliás, nenhuma novidade nisso. Mas há um ritmo e uma vida nele maravilhosos.

Beijos nossos

Anônimo disse...

A tradução às vezes vem sem a gente saber a língua, pela intonação, pelo olhar.

Beijo da Ana

Jorge Pimenta disse...

porque toda a memória é azul, com os tons dos mares que se fizeram passado, mas o aroma do futuro.

beijinho, dade!

Cris de Souza disse...

Quecoisalinda*