sábado, maio 29, 2010

Qualquer casa
















Qualquer casa
por mais sombria
sofre sua parcela de alegria.

16 comentários:

nina rizzi disse...

antes mesmo de ler ganhei tua canção, que beleza. sim, toda casa tem alegria: antes dono do barraco que hóspede no palácio".

beijos.

Leonardo B. disse...

[ou não fosse a "casa" a mais interior estaca e coração do caminho do homem; a ela regressa, sempre que parte, num abandono breve e permanente; a casa é o humor do ser humano, feita do material do mundo]

um imenso abraço, Amiga Dade

Leonardo B.

Anônimo disse...

pequeno poema iluminado, Dade, uma joia.

beijo
JN

Assis Freitas disse...

e alegra-se. abraço

Fabio Rocha disse...

poetrix lindo, hein, dade. beijão

Lou Vilela disse...

Gosto de poemas que aliam profundidade à concisão. Muito bom, minha cara!

Beijos

Carla disse...

não é mesmo? :)

Jefferson Bessa disse...

sim, gosto da inversão de que a casa "sofre sua parcela de alegria". Um raio que desce alegremente, Adelaide!
Um beijo.

José Carlos Brandão disse...

Qualquer casa
é a casa da poesia.

Lara Amaral disse...

Uma bucólica estadia.

Beijo.

Anônimo disse...

Penso nisso às vezes, fico alegre de ver seu poema. Você sabe por quê.

Beijos,
AnaG

Nydia Bonetti disse...

me fez sorrir :) beijo, dade!

helen ps disse...

As casas, como as pessoas, têm seus bons e maus momentos.

Abraço.

PAZ e LUZ

Sônia Brandão disse...

Lindo isso.
E mais alegre se torna essa casa quando suas portas se abrem para os amigos, para a poesia.

bjs

Maria Muadiê disse...

lindo isso.
adoro casa.

Daniela Delias disse...

Um poema imenso, lindo! Cabe um mundo! Bjo, Dade!