quarta-feira, junho 22, 2011

Poeta 2

Poeta perene
não existe
ou se existir
é Deus.

Alguém pode ter
alma de poeta
e dizem que alma
uma vez nascida
dura para sempre.

Poeta eventual
no dizer de Auden
são todos eles.

Se nada disso for verdade
melhor esquecer
e não se achar
melhor se perder
entre os poemas.


10 comentários:

Zélia Guardiano disse...

Que interpretação espetacular sobre esse mundo da poesia, minha querida Dade!
Esse mundo feito de percalços, mas também de alegria ( quando o poeta está num daqueles dias de glória, inventados pela inspiração...)
Encantador poema, amiga!
Beijos.

Ivan disse...

Pouco importa se o poeta é transitório, eventual ou perene.
Já é um pouco divino, só por ser poeta.

Beijo.

Úrsula Avner disse...

Pura poesia Dade...Bj .

AnaC disse...

A última estrofe é genial, fechando um poema dos bons.
Amei.
Beijos,

Anônimo disse...

"se perder entre os poemas" , o melhor de tudo.
Beijo do César

MIRZE disse...

Espetacular, Dade!

O que importa não é o poeta, mas a poesia que ele transmite. As palavras bem usadas, como você faz.

Beijos, poetisa!

Mirze

Luana disse...

A poesia é um lado diferente da literatura, quase uma rebeldia. Teu poema faz justiça a esse gênero sem igual. Amei.

Bjsss

OceanoAzul.Sonhos disse...

adoro perder-me entre a poesia, a sua é maravilhosa.
Um beijo
oa.s

Daniela Delias disse...

Inspirada como sempre...um encanto!

Assis Freitas disse...

eventualmente poeta, parece que assim se é um pouco Deus

beijo