sexta-feira, junho 03, 2011

Um dia

William Blake. The Song of Los Urizen.


O sonho é sem limite
a dor tem fim
e o amor desfeito
um dia
se consola.

Toda saudade
coagulada em sombra
reinventa o amor
no tempo
das lembranças.

O fogo aquece
enquanto não se apaga
mas chega um dia
em que as brasas
nos alentam.

11 comentários:

Vais disse...

Adorei, encantei, Dade!
Que as brasas sejam eternas! um toque um graveto uma assoprada uma abanada e tão lá as chamas de novo

beijinhos e bom fim de semana

Sônia Brandão disse...

E do calor das brasas os sonhos se alimentam.

bjs

Sandrio cândido. disse...

Eu espero tanto por este dia. Belo poema.
abraços

Assis Freitas disse...

as brasas confortam e como

beijo

MIRZE disse...

Perfeição de poema!

Verdade é isso: a saudade inventa o amor no tempo das lembranças.

Belíssimo, Dade!

Beijos

Mirze

Ivan disse...

É preciso viver o amor e a dor para alcançar esse dia. Não é fácil, mas ele existe.

Beijos.

Anônimo disse...

Dade, nada mais verdadeiro do que este lindo poema.
Cheguei aqui pela Ana, tua fã entusiasmada. Com razão.
Beijo carinhoso do Jerôme.

Daniela Filipini disse...

Lindo, simplesmente.
Doce sintonia.

OceanoAzul.Sonhos disse...

Que cantinho acolhedor. Adorei o poema.
Abraço
oa.s

Luana disse...

Lindo que dói!
Beijo carinhoso.

Úrsula Avner disse...

Belo e tocante... Bj.