quarta-feira, junho 29, 2011

Poeta 5


Alguém me disse um dia
poeta é um encapsulado
dentro de si mesmo
incapaz de consideração
com o resto do mundo
e das pessoas.

Pensei nisso
como se fosse verdade
mas não serve para todos.

Cheguei então
à mais conclusiva conclusão.
Se for poeta
pode ser
ou não
um mórbido egocêntrico.
E se não for
também.
A raiz narcisista
está em outro lugar
e pode ser
ou não
muito fugaz.

Pergunto então
que diferença faz?

6 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

magnífico! Adorando a tua série Poetas, beijos!

Lara Amaral disse...

Estou submersa demais para responder, mas não o suficiente para não apreciar. Excelente, querida Dade!

Amélia disse...

Gostei desta série...Vai continuar?
Abraço

césar disse...

Poeta talvez precise ser um pouco mais gente do que o comum dos mortais.
Beijos.

Luana disse...

A série está mesmo muito boa, uma análise bem feita da condição de poeta. Adoro ler seus poemas, Dade.
Beijos

MIRZE disse...

Excelente!


Um ser emotivo com tudo, não pode ser narcisista e egocêntrico. Manuel de Barros, meu poeta Maior, nos ensina a simplicidade.

Lindo!

Beijos

Mirze