sexta-feira, agosto 26, 2011

Ao sol de agora




 Imagem sem menção de autor

Bem sei da noite
que vai chegar
asas escuras
paisagens foscas.
Sei que de sono
vamos morrer
durante as horas
de ouvidos moucos
o pensamento
desfeito em sonhos.

Agora
que é dia ainda
melhor pensar
pelos sentidos.
Melhor ouvir
o mar batendo
e mergulhar
nas horas vivas
enquanto o sol
roga por nós. 

7 comentários:

MIRZE disse...

Enquanto o sol, roga por nós.

Belo, belo! Embora eu adore a noite.

Beijos Dade querida!

Mirze

Sandrio cândido. disse...

gostei muito desta noite

Enylton disse...

Noite e dia tão bem retratados, o sol rogando por nós, a noite para morrer um pouco... Lindo demais.
Beijos.

Zélia Guardiano disse...

Magnífico, Mirze, minha querida!
Sempre me impressiona essa delicadeza contida nos teus versos, por mais que sejam profundos...
Leveza de pluma!
Bravo, amiga!
Bjs

Cris de Souza disse...

Mas que bela oração!

Daniela Delias disse...

Tão bonito ler isso justamente em um dia que o solzão apareceu aqui em RG. E ele andava tão sumido rs...
Bjão, Dade!

Ivan disse...

Os sonhos e os sentidos sustentam nossa vida. Um lindo poema, Dade.
Beijos do Ivan