sexta-feira, agosto 19, 2011

Metapalavras





Palavra
pode ser
lâmina quente
ao longe
arremetida
palavra como flecha
desferida.

Dita baixinho
palavra esbraseada
deixa na pele
marca tatuada.

Palavra pode ser
lâmina fina
cirúrgico instrumento
de fria intervenção
em algum momento
sem anestesia.

Falas às vezes
como quem deságua
estrelas matutinas
e então meu sono inteiro
quebra
como se fosse
vidro temperado.

10 comentários:

nydia bonetti disse...

Poema de desaguar estrelas, dade... lindo. beijos.

Bípede Falante disse...

Não conheço nada tão imperdoável quanto uma má palavra.
beijoss

Assis Freitas disse...

"palavra quando acesa não queima em vão/deixa uma beleza posta em seu carvão"


beijo

AnaC disse...

Sim, é isso. Palavras servem a todas as finalidades. Mas é sempre melhor ouvir as esbraseadas...
Beijocas.

Sandrio cândido. disse...

Palavra sempre corta
abraços

Cris de Souza disse...

palavra de honra: ler-te é um prazer!

beijo, dade.

MIRZE disse...

Belíssimo, Dade!

Palavre é a ponte de ligação entre dois seres ou mais.

As "falas" próprias à natureza humana não podem desaguar e romper elos.

Belo!

Belo!

Beijos

Mirze

Luana disse...

Estrelas e flechas em harmonia. Lindo poema, perfeito.

Beijos.

Úrsula Avner disse...

Um poema de encher os olhos e a alma Dade... Beijo.

Jefferson Bessa disse...

a concretude das palavras surge, assim, de todas as formas. Que bonito, Dade!
Um beijo.
Jefferson.