segunda-feira, maio 07, 2007

Gaivota


Rui Elias. Rota de colisão.

Voando ao vento
sabe seu rumo
inscrito em cada pena.

2 comentários:

Betty Branco Martins disse...

Querida Adelaide

(no voo do teu belo poema)

O lamento__________da gaivota que nunca viu os desenhos que ao voar traçou no céu________que rota esta terrena_______que luta no existir____conflito_____mas que o olhar se prende nas asas_______________do seu voar________

Um grande beijo com muito carinho

Carol Timm disse...

Querida Adade,

Poucas pessoas escrevem tão bem em PROSA & VERSO... você é uma delas!

Fiquei feliz de linkar também o Inscrições lá na Casa de Palavras.

Beijos,
Carol

PS: Achei tão bonito você estar publicando os poemas da Li Stoducto - que também fiz um link para o blog dela. Assim, também vai ficar melhor para voltar e conhecer melhor a poesia da Li. : )