quinta-feira, maio 03, 2007

Prisma




Medula, sangue e alento
o teu momento irisa meus sentidos.

Serei se tu quiseres
tua véspera
um exercício de anjo
e a terra onde cravar tua raiz.

4 comentários:

Amélia disse...

Maravilha, Adelaide!Beijo

Amélia disse...

Acrescento: como são os poemas seus de que gosto muito.Às vezes esqueço-me de vir ao blogue, mas é sempre um gosto enorme quando o faço.

Betty Branco Martins disse...

Querida Adelaide

Ao ler o[s] teu[s] poema[s]________é como "exercícios" na aula dos sentires_________que se "cravam" na alma

Um beijo com muito carinho
BFsemana

Mel disse...

Seremos sempre o que eles quiserem por sermos sempre o amor!
Beijo Adelaide!
Mel