domingo, maio 06, 2007

Vitral



A compoteira que foi de vovó
já não existe
: agora é cacos azuis.
Minha tia predileta
que me ensinou tanta história
de repente me faltou.
Meu primeiro namorado
casou e sumiu no mundo
e me casei com o segundo.

Perdi as cores mais vivas
o colo quente e as cantigas
e nunca mais vou ser virgem.

O que se perde em história
vira vitral na memória
o saldo da vida inteira
vale mais que a compoteira
a ternura que se sente
ensina que o amor existe
e já dizia Vinicius
docemente
: é melhor ser alegre
que ser triste.

3 comentários:

Márcia disse...

"o que se perde em história
vira vitral na memória"

que bonito, adade. é assim mesmo.
um beijo daqui, onde chooooveeeee.

Lunna disse...

Estou arrumando meu blog, incluindo os links e como costumo fazer, estou passando para avisar que linkei você. Caso tenha algo contra: (olha o suspense) fale agora ou se cale para sempre...
Beijos no final da manhã de sol, sem nuvens e sem meu velho bom humor da madrugada (risos).
Lunna

Amélia disse...

excelente, amiga!