quarta-feira, março 10, 2010

Desassossego



 

O que nos falta

é a fumaça dos cigarros

que não fumamos juntos.

 

Os corpos são agora

mapas sem a cidade

que foi nossa.

 

Sobre a terra

ficaram rastros

que nunca se apagarão.

 

8 comentários:

Mai disse...

Tempos de desassossego, palavras doridas, o sal na face. Mar atormentado, terra em convulsão, resta a poesia. beijos, Dade

Anônimo disse...

quem pode viver em sossego num planeta que ameaça a vida - mas que planeta suportaria a vida que ameaça?

beijo e saudade
Helen

Jefferson Bessa disse...

para o desassossego: o distante, o que não se vê mais, o que se esconde na noite. Um beijo, Adelaide!

Assis Freitas disse...

desassossego é um estado de floração, de repente e de verso. abraço.

Nydia Bonetti disse...

Neste clima, parece que nada mais vai florescer. Mas floresce. Cedo ou tarde, virão as flores - e os poemas. Este lugar nenhum costuma ser fértil. Lindo como sempre, Dade. beijoos

Fabio Rocha disse...

Triiiiiiiste... :) E bonito. Beijos

Fragmentos Betty Martins disse...

._________querida Dade





o desassossego

.a realidade

vivido.e.sentido


sob todos os ângulos

______do ser vida...



...


__________///







beijO______ternO
b.resto.semana

Carla disse...

"rastros disttantes da presença emigrada..."
vc faz ecoar saudade!