terça-feira, março 02, 2010

Madrugada












Foto Oasinweb.


Te conheci bem antes dessa manhã
quando te inventei.
Te trago há tanto tempo!
A tua identidade é um pouco a minha,
teu pensamento deita em meu repouso.
Te conheci bem antes
e te reconhecer
é como andar de madrugada pelo campo.




13 comentários:

Mai disse...

Entre reencontros e dèjá vu, o desejo. Abraços, Dade.

Leonardo B. disse...

[sublime a palavra quando filigrana]

um imenso abraço,

Leonardo B.

Fabio Rocha disse...

Que coisa linda...

Queria eu conseguir buscar com metade dessa calma.

Abração

Assis Freitas disse...

as palavras se reconhecem de outras existências poéticas. abraço

Amélia disse...

Belíssimo!
Beijo

continuando assim... disse...

convite para a seguir a história de Alice
lá no ...continuando assim...


bj
Teresa

Moacy Cirne disse...

Ótimo,
vai pro Balaio,
ora se vai.
Amanhã, viu?!?

Abraços.

Nydia Bonetti disse...

Tão bonito, Dade! Conhecer, inventar, re-conhecer. Próximo passo: re-encontar. Tudo assim, com a calma de quem anda pelo campo de madugada... Nossa, há quanto tempo não faço isso. (andar no campo de madrugada) :) beijoooos.

Jefferson Bessa disse...

Que bonito, Adelaide! Tenho a dizer que caminhei pelo campo com seus versos,
com o reconhecimento daquilo que seus versos inventaram.

Beijos.

Jefferson.

Sílvia disse...

gostei muito do poema :)

Sílvia disse...

de nada, e igualmente :)

Nilson disse...

Bem metafísico, esse. Gostei muito!

Gisela Rosa disse...

um beijo dade! É sempre uma delícia vir aqui e encontrar tua finíssima palavra....com carinho e admiração