terça-feira, março 23, 2010

Roda

Duas vidas brincam de roda
a que se vive
e a do desejo.

Fora da roda

a realidade

toma todas as decisões.




6 comentários:

Leonardo B. disse...

[como um traço, um pouco de tinta, em tela com urgência de palavra poema...]

um imenso abraço, Amiga Dade

Leonardo B.

José Carlos Brandão disse...

O poema como uma brincadeira de roda. É possível a realidade fora da roda? Sempre se estará dentro do poema - isto é, da vida.
Beijo.

Fabio Rocha disse...

Adoro seu estilo...

Jefferson Bessa disse...

o movimento do ser: o que se vive e o que se deseja (a engrenagem). Que bonito, Adelaide!
Beijos.
Jefferson.

leonor cordeiro disse...

Querida Adelaide,

Estou compartilhando um dos seus poemas na minha última postagem NA DANÇA DAS PALAVRAS.
Grande abraço!
Com carinho e afeto,

Leonor Cordeiro

J.F. de Souza disse...

UAU!!! =D
----------------------------

ninguém quer brincar
com a Realidade

pobre menina
feia
gorda
e antipática

---------------------------
MARAVILHA DE ESCRITO!!! =D

Adorei este, Dade!


:*