sexta-feira, março 12, 2010

Insônia 4


Música de antes do paraíso
e pós serpente.
Um pensamento tortuoso
o dia todo calado
habita o quarto.

Encontro desmarcado
cabeça ainda plugada
cinzas de incêndio
algum tipo de amor
esfacelado.

7 comentários:

nina rizzi disse...

e eu aqui, co'essa saudade que me enche de insônia.
e vc aí, com essa poesia que me enche o peito...

beijo.

Fabio Rocha disse...

ou é o amor desfeito mesmo... ;)

beijos

Leonardo B. disse...

[é resguardo onde cabe todo o voluntário silêncio do mundo, resguardo do vento forte que sopra no peito!]

um imenso abraço, Amiga Dade

Leonardo B.

Carla disse...

insônia é insistência de não se sabe o que.
(sua poesia é tão delicada!)

Assis Freitas disse...

Fico com as palavras da Nina, essa poesia que nos enche o peito. Abraço.

Assis Freitas disse...

Hoje é dia de verso. vim te reverenciar. Abraço.

Lalo Arias disse...

pior do que a própria insônia é a lembrança, matéria da insônia.
grande beijo, Dade.