segunda-feira, abril 25, 2011

Conceito



Não há poemas na bolsa de valores
e entanto a poesia
traduz todas as línguas
dos homens e dos bichos
e é mulher-dama de esquina.

Não há poemas nas caixas do banco
a não ser
que a poesia se revele
na pele de algum cliente
que enquanto espera
na fila
recrie o paraíso.

7 comentários:

Lara Amaral disse...

Por pessoas como vc, fazendo brotar a Poesia do asfalto, do concreto, do rotineiro, que Ela persiste!

Beijo.

MIRZE disse...

Perfeito, Dade!

Impossível imaginar poesia na Bolsa de Valores, mas você acaba de fazer.

Beijos querida!

Mirze

Suzana Martins disse...

Há poesia em ti, no seu olhar e na sua sensibilidade!!!

Beijos linda

Assis Freitas disse...

a ordem do dia, para corromper só mesmo a epifania do verso,


beijo

Zélia Guardiano disse...

Lindo, lindo, Dade!
Em se tratando de você, não existe lugar inadequado para que dele brotem versos...
Você é demais, minha querida!
Bjs

Úrsula Avner disse...

original, criativo poema Dade... Meu abraço amigo.

Úrsula

AnaC disse...

Isso é como dar um grito de carnaval durante a missa. Ou seja: tudo que precisa acontecer para redimir o mundo. E é lindo, porque poesia rima com alegria, mesmo quando fala de tristeza.
Bjs