sexta-feira, abril 01, 2011

Poema amigo - Nydia Bonetti

pátria

pátria
é o velho casarão em que nasci
de onde me exilei para sempre
quando soprou o vento
que soprou as cortinas e destelhou a casa
derrubou as paredes e espalhou poeira
que arranhou meus olhos de menina [ainda
vermelhos

9 comentários:

Bonetti disse...

Dade, passei hoje de manhã em frente ao velho casarão. E bateu uma saudade enorme. As paredes internas foram demolidas, mas foi possível manter as externas, com algumas modificações na fachada. Nunca mais tive coragem de entrar lá. Acho que não suportaria. Foram todos embora... Inclusive a menina que fui. Sempre tão bom estar aqui. Beijo grande, Nydia.

Leonardo B. disse...

[pátria, esse lugar onde corre, descansa, salta e repousa o coração,

mais raramente o sitio que é atestado em bilhete de identidade ou certidão]

um imenso abraço,
Amigas Minhas

Leonardo B.

Lalo Arias disse...

Ler Pátria ao som do velho, sofrido e querido Chet Baker: ah que tarde maravilhosa e dolorida se abriu para mim!

Raíz disse...

Dade!

Nydia vai além da poesia, coloca emoção e sabedoria. É poeta ao extremo.

Excelente escolha!

Beijos

Mirze

Jefferson Bessa disse...

Que beleza ler esses versos, Dade! Duas poetas em belo diálogo. Um beijo.
Jefferson.

Suzana Martins disse...

Pária, esse lugar onde ficaram minhas lembranças e saudades....

Beijos

Luma Rosa disse...

Pátria! A palavra já embute um certo sentimento de nostalgia por algo que se perdeu no tempo. Beijus,

Nilson disse...

Nydia é das melhores. E esse poema. Parabéns,Dade, pela escolha!

Assis Freitas disse...

a pátria de Nydia pulula na página,


beijo