quarta-feira, abril 27, 2011

Piano da noite


Mudam as luzes
luas de mecúrio
no bar escuro
as faces desfocadas
o tédio requintado
no piano.

A noite nos ilude
até o tombadilho da aurora
em sua oferenda
eterna e transitória.

A noite não tem cura
para quem
ao menos uma vez
bebeu sua música.

4 comentários:

Suzana Martins disse...

a noite que ilude os versos, tocam num piano de vontades a saudade cantada pelo poema...

Beijos

Assis Freitas disse...

a noite embriaga,

beijo

Eulalia disse...

Suave e doce!
Gostei muito!
Virei curtir sempre.

Obrigada pela visita ao meu blog!
beijos

Luiza Maciel Nogueira disse...

ah Dade a tua poesia é tão alinhada a son, quase que escuto Horowitz para embalar :)

bjs