quarta-feira, abril 06, 2011

Naufrágio


Traços
lembranças
gestos
e lábios
toda a constelação que nos cingia
naufragou.

Mas flutuamos ainda
ante os olhares do mundo.
Ainda pulsamos
transgressores
indesculpados
alheios ao naufrágio.

10 comentários:

Lara Amaral disse...

Todo o caminhar soçobra, e a gente aqui.

Beijo.

J.F. de Souza disse...

o que não soçobrou.

Raíz disse...

É isso mesmo, Dade!

Somos todos transgressores indesculpáveis, enquanto alheios ao náufrago.

O mundo está nesse estado de egocentrismo.

Muito lindo!

Beijos

Mirze

Suzana Martins disse...

As suas palavras encontram a minha alma num dia em naufraguei, mas me encantei ainda mais com a imagem que ilustrou os seus versos.

Linda, linda e perfeita essa imagem...

Beijos

Úrsula Avner disse...

Oi Dade,

há sempre um manancial em seus versos...Lindo poema ! Bj.

Anônimo disse...

Dade, esse é um daqueles poemas que tocam a gente tão de perto...
Beijos por ele
Kelly

Tania regina Contreiras disse...

Mas flutuamos ainda
ante os olhares do mundo...

Poesia de ler e se reler, Dade. Boa de prosa e verso, heim?
beijos,

Ilaine disse...

O essencial naufragou e nem percebemos...

Dade, amiga! Há muita profundidade nestas palavras e tanta verdade também. Simplesmente lindo! Beijo

Natália Nunes disse...

lindo, dade, preciso, porque que o amor é um rebelde transgressor.

Daniela Delias disse...

Dade...seus poemas são transgressores, reviram a gente por dentro. Adoro, simplesmente adoro!