quarta-feira, março 21, 2012

Encontro


Soube seu cheiro
pelas lacunas da noite
o riso breve
um som
limado de alegre.
Soube da pele
antes de ver o rosto
porque afinal
nem tudo é previsível.

14 comentários:

Carol Timm disse...

Dade,

Quase nada é previsível...

Por isso é tão bom abrir os olhos melhor ainda abrir os sentidos e tocar com carinho o que resta...

Beijos,
Carol

Daniela Delias disse...

Há esses encontros que são assim. Sabe-se muito, antes de se saber. Lindo.

Bjo, Dade querida!

Carol Timm disse...

Dade,

nada é previsível ou quase nada. Por isso é tão fundamental abrir os olhos ou melhor ainda, abrir os sentidos e perceber tudo que ainda resta...

Beijos, e Feliz Dia Internacional da Poesia para você também!
Carol

OceanoAzul.Sonhos disse...

Lindo o encontro das palavras, num sentir imenso.

Gostei muito
beijinho
cvb

Lara Amaral disse...

Uau, Dade! Que beleza misteriosa nesse poema. Versos que nos captam rapidamente, nos tragam. Maravilha!

Beijo.

césar disse...

Encontro que é um charme.

Beijos, Dade.

Mirze Souza disse...

Maravilha, Dade!

Seria ótimo a previsibilidade, ou não!

Beijos

Mirze

Aloísio disse...

"o riso breve/um som limado de alegre" é muito bom mesmo.

Beijo

Sandra Oliveira disse...

Lindo...

Cecília Romeu disse...

Dade,
e tem coisas que o coração diz antes dos olhos, não é mesmo?
Poema lindo!

Beijos e ótimos dias

Fred Caju disse...

Ainda bem que há imprevistos e improvisos.

mfc disse...

Gosto de me sentir agradavelmente surpreendido...

Beijos,

Anônimo disse...

os que adivinham chegam sempre mais longe do que os que sabem ou julgam saber.

beijos, dade!

Assis Freitas disse...

há sempre o inesperado, que é belo



beijo