sexta-feira, março 16, 2012

Ficções



7

Cada um ouve o que deseja ouvir
assim como aconteceu com ele
– se lhe dissessem
venha
ele fugia.

Quando ela disse volta
deixou-se ficar no hotel de quinta
enquanto ela chorava
sozinha no apartamento do oitavo andar
considerando até a possibilidade
de se atirar da janela.
No dia em que ele
enfim voltou
mais viva do que nunca
ela gravava uma canção de amor
no YouTube
ao lado de um rapaz louro
que ele não conhecia.

13 comentários:

MIRZE disse...

Esperta! Mas eu não saberia.

Linda série de Ficções.

Beijos

Mirze

mfc disse...

A oportunidade perdida... e reconquistada!
A vida é mesmo assim.

Enylton disse...

Essa série é um projeto? Um livro? Se for, quero o meu!

Beijos nossos.

Aloísio disse...

Estive lendo os poemas que vc intitula Ficções e achei excelente a série dessas histórias em versos.
Beijo.

Adriana Aleixo disse...

Lindo!Lindo!

A canção me surpreendeu logo cedo.

Beijo.

Fred Caju disse...

Há sempre um loiro desconhecido ao lado das mulheres conhecidas...

Jorge Pimenta disse...

ganhos e perdas. saberá o coração aritmética?...

beijinho, dade!

Adriana Aleixo disse...

De volta para ouvir a música. Parece-me conhecida. De quem se trata?
Beijinho!

Luana disse...

Moça versátil, não?
Fez muito bem!
Beijocas.

Luiza Maciel Nogueira disse...

cada qual ouve segundo o seu manual de vida e experiências anteriores, cada qual escuta o que lhe é possível escutar e cada vez mais em direção à descoberta que jamais se esgota...ou parece que não

beijos Dade e obrigada pelo belíssimo poema

teca disse...

Criatividade que vale...

Beijo.

Cris de Souza disse...

vacilou dançou, né!

beijo, dade*

Daniela Delias disse...

"No apartamento, oitavo andar, abro a vidraça e grito, grito quando o carro passa: teu infinito sou eu..."

Lindo, Dade, lindo!