sexta-feira, outubro 07, 2011

Raízes


Voando a bordo do vento
alçam asas provisórias
papéis alados
notícias
ilusões
recibos e garantias
cartas rasgadas e folhas
intenções
e regalias.

Voam véus
cortinas
sonhos
e aves tontas na vidraça.

No chão
imóveis
raízes
responsáveis pelos galhos
e lenhos de nosso alento
ensinam
sem dizer nada
nem tudo voa no vento.

6 comentários:

Jorge Pimenta disse...

entre bramidos de tempestade e quietudes de fim de tarde desprendem-se folhas, arrancam-se ramos, voam copas e rasga-se o tronco. apenas as raízes persistem, porque nasceram sem meteorologia e a seiva que as alimenta é tão invisível como tudo o que vive para além da materialidade. assim é a vida, afinal.
beijinho, dade!

César disse...

O vento é um fenômeno que tem tudo a ver com o tempo, de certa forma eles até rimam. Há coisas que resistem mais ao tempo, e há aquelas que o vento não consegue desestabilizar, se for um vento normal, bem entendido.

Beijos.

Jefferson Bessa disse...

nossos pés na terra.
raízes que ficam. beijos. Jefferson.

Sandrio cândido. disse...

As vezes dá uma sensação " perpassada pela angustia" de que só há mesmo raízes, mas e as copas?

abraços

MIRZE disse...

Belíssimo, Dade!

As raízes ensinam muito, enquanto o vento voa.

Beijos

Mirze

Daniela Delias disse...

"Nem tudo voa no vento...". Que verso, Dade, que verso...
Bonito demais!
Bjos...