segunda-feira, julho 11, 2011

tédio



se o tédio vem à tona
o silêncio da noite
é água parada

8 comentários:

Sandrio cândido. disse...

Em uma sociedade do tédio como é a nossa, é bom ouvir isto
beijos

Luiza Maciel Nogueira disse...

que lindo lindo Dade esse tédio viu, que coisa. A gente inventa né

beijo

Úrsula Avner disse...

Oi Dade, simples e belo poemeto... Bj.

Luana disse...

que deus nos livre de tédio e água parada, mas o poema é muito lindo.

bjss.

AnaC disse...

Todo perfeitinho - tédio é assim mesmo.

Beijos.

MIRZE disse...

Dade!

Esse tédio está por demais verdadeiro! Me deu um tédio....

Beijos

Mirze

Ana Maria disse...

Um poema bem calibrado e muito bonito, Dade.
Beijos.

Daniela Delias disse...

Adoro os teus pequenos poemas...dizem tanto! Lindo, Dade!